Entre dois mercados (Maeklong e Amphawa)

/ / Tailândia

Este dia previa-se épico, pois eram lugares que nós queríamos mesmo conhecer e tinham sido produto da nossa imaginação durante largos meses de preparação da viagem, e já tinha chegado o dia.

Como fomos: BTS até à estação de Victory Monument, sair na saída 2 e a apenas 1-2 minutos em direção à paragem das Mini-Van (carrinhas de 12 Lugares) e pedimos bilhete para Maeklong.

Preço: 70 bahts o bilhete de ida

Foi mesmo muito fácil e barato optar por este meio de transporte, levou cerca de 1h30m, pois Maeklong fica a 70 km de Bangkok.

Quem quiser outra opção pode sempre ir de comboio, para isso vai de BTS até à estação de Wangwan Yai, depois tem que caminhar cerca de 20 m até à estação de Wong Wian Yai e aí comprar bilhete para Maeklong. O preço do bilhete é de 20 Bahts, ou seja, 0,50€.

Chegámos à estação e a 3 minutos a pé começámos a ver logo o mercado com barraquinhas na rua, tem um ambiente mais ruralizado, com produtos mais económicos, aproveitámos logo para comprar uns Rambutan para ir comendo no caminho.

Chegámos cedo, ainda deu tempo para visitarmos o mercado e andar a ver os produtos em cima da própria linha de comboio.

O comboio passa no mercado às 08h40 e 09h00; às 11h20 e 11h30; 14h30 e 15h30; e 17h40.

Antes do comboio passar soa uma campainha a avisar da sua passagem e depois é a maior confusão coordenada que vi em toda a minha vida. Cada expositor sabe exatamente o que fazer, retira os seus produtos da linha do comboio, faz recuar as suas bancadas deslizando através de umas calhas e levantam os toldos.

Assim que o comboio passa volta à azafama da reposição dos produtos e passado um minuto está tudo na mesma, como se nada fosse. Verdadeiramente INCRÍVEL!

A tarefa destes comerciantes aumenta de dificuldade pois os turistas colocam-se em cima da linha de comboio para tirar a “melhor foto de sempre” e arriscam as suas vidas e a dos locais.

Após aquele espetáculo, fomos apanhar um Dudu, são umas carrinhas com bancos corridos e de transporte coletivo dos locais, para o Mercado Flutuante de Amphawa. O custo foi de 6 Bahts por pessoa e demorou cerca de 15 minutos.

Optámos por visitar o mercado de Mercado Flutuante de Amphawa em vez do mais conhecido Damnoen Saduak por vários motivos: era 10km mais perto e para vermos tudo num dia teríamos que poupar tempo, queríamos algo menos cheio de turistas consequentemente os preços seriam bem mais simpáticos.

Chegámos na hora certa – almoço! As margens do canal que aqui passa estão cheias de lojinhas e restaurantes. Quer dizer mesinhas e cadeiras viradas para o canal, escolhemos o menu e as senhoras cozinham dentro do barco à nossa frente.

Claro que não é um lugar só para locais, o mercado está muito virado para turistas, mas consegue-se apreciar as coisas com calma e é um turismo menos de massas, pois a maior parte das excursões organizadas vão para Damnoen Saduak.

Foi um passeio muito engraçado, vimos os comerciantes de comida a venderem dentro dos seus barcos no rio, é fácil imaginar como antes percorriam o rio a vender produtos de casa flutuante em casa flutuante. Este rio era um grande centro de comercio local, era a forma mais fácil, rápida e barata de fazer chegar os produtos a aldeias mais longínquas.

Depois de explorarmos as margens a pé, contratámos um barco privado para um passeio no rio, de duas horas. Tem duas opções: ou vão em barcos maiores, mas coletivos, ou contratamos um barco mais pequeno, mas só para nós.

Os passeios em barcos coletivos custam 50 bahts por pessoa.

Mas nós escolhemos ser uns despesistas fomos em “Long Boat”, quatro pessoas por 800 bahts (dá por volta dos 5€ por pessoa), por um passeio de três horas – e viva o luxo!!!

Este passeio é mesmo muito interessante, percorremos o rio, conseguimos apreciar as casas em parafitas, algumas com os seus próprios pequenos barcos amarrados às estacas de madeira que sustentam as casas. É assim que os locais se deslocam habitualmente. A paisagem…aí…

Visitámos 5 templos lindíssimos, que ganham uma áurea especial quando observados a partir do rio. Estacionávamos em pequenos decks e íamos a terra visitá-los. Aqueles templos servem a população rural que vive na margem do rio.

Curiosidade: a caminho de apanharmos o minibus para Bangkok, vimos um local com um saco de bolos, sabem o que era? Pasteis de nata!

Fomos apanhar o minibus para Bangkok e o preço foi o mesmo 70bahts por pessoa e uma hora e meia de caminho.

Foi um dia inesquecível!